Como aprender a desenhar em 5 passos do zero

Desenhar é uma expressão, uma linguagem em que passamos uma mensagem em imagens compostas por duas dimensões, através de ponto, formas e linhas. Essa prática pode fazer parte de um hobby, uma profissão ou uma simples tarefa comum do dia a dia.

Iniciar uma ilustração para quem não tem experiência parece ser difícil. Muitas pessoas desistem no seu segundo traço, acreditando que não é possível ou que é necessário um dom especial para desenhar. Isso não é verdade! Poucas coisas bem aplicadas serão fundamentais para iniciar um bom desenho e, com perseverança, se alcançará a níveis muito bons nas suas futuras ilustrações.

Aqui vamos mostrar como aprender a desenhar em 5 passos, além de dicas de modos de desenho para começar suas ilustrações e aprender totalmente sozinho.

Passo 1 – Defina o que você vai desenhar

Inicialmente decida o que você ilustrará a fim de traçar um objetivo e já pensar em como ele vai ser (planejá-lo).

Aqui já começa um erro bastante comum. Aprender a desenhar começa pelo “projeto”, ou seja, precisamos saber ao menos qual é o nosso modelo de desenho.

No nosso exemplo, decidimos esboçar uma casa simples no meio do campo. Você poderá utilizar todos esses passos para desenhar o que quiser (não necessariamente uma casa).

Passo 2 – Busque referências

É muito importante termos referências. Precisamos no início da nosso aprendizado com o desenho termos imagens que nos inspiram.

Para exemplificar, vamos nos basear em duas fotos, indicada abaixo:

como aprender a desenhar

Nessas imagens acima, vimos casas de madeira, no meio de uma floresta ou campo e montanhas ao redor. Esses serão os exemplos que “nos inspiraram”, no entanto será somente uma referência (não faremos necessariamente uma cópia das fotos).

Passo 3 – Faça um esboço

Antes de iniciar um desenho, é necessário fazer um esboço para situar o desenho, definir traços, corrigir e começar novamente. Esboço é a estrutura base de um desenho, é o início da execução do que foi planejado. Nesse passo é importante fazer riscos mais fracos para facilmente apagá-los, caso você mude de ideia. Portanto, esse é o momento de alterar o que quiser.

Optamos por iniciar o desenho pela base e, assim, começamos o esboço por traços curtos. No desenho acima fizemos o seguinte:

3.1) Traçamos uma linha reta como base;
3.2) Através da linha reta incluímos um quadrado como início da estrutura;
3.3 e 3.4) Adicionamos outras linhas para fazer a divisão da casa e inserimos triângulo para um teto e outras formas;
3.5 e 3.6) Adicionamos mais formatos para indicar os detalhes da casa simples e o seu fundo.

Vemos como o esboço feito oferece mais controle sobre o desenho para, então, começar a acrescentar detalhes.

Passo 4 – Modele o seu desenho

Nesse passo deixamos formas simples como retângulos, retas, triângulos e iniciamos a moldar o desenho, como se estivéssemos “lapidando” a ilustração. Desenhamos com mais precisão as linhas, conforme no exemplo abaixo.

Passo 5 – Coloque os detalhes

Essa é a etapa de aperfeiçoamento do desenho. Criamos a ideia no esboço (passo 3), ajeitamos os traços ao modelar as linhas (passo 4) e nesta acrescentamos os detalhes daquilo que já havíamos decidido.

No desenho acima, inserimos detalhes que descreveremos abaixo e você poderá colocar na sua ilustração:

5.1) Definimos o ponto de iluminação a fim de traçar o sombreamento (5.3);
5.2) Após a modelagem do passo 4, inserimos mais detalhes com traços curvos nos pontos principais do desenho. Enriquecemos informações na montanha, janela, telhado, árvores;
5.3) Colocamos sombreamento;
5.4) Reforçamos as linhas.

Dicas Importantes

Agora que já mostramos o passo-a-passo de como aprender a desenhar do zero, vale ressaltar algumas dicas relevantes:

Treine!

Boas práticas são adquiridas com repetição. Você pode desenhar, basta estudar e praticar. Fazer um bom desenho depende muito mais de dedicação e preparo do que uma habilidade que uns têm e outros não.

Não fique esperando ter os melhores equipamento como aquele lápis ou aquela caneta dos sonhos para só então começar a desenhar. Comece agora mesmo com o que você tem a disposição.

Uma dica interessante que podemos dar é de você criar uma rotina. Colocar metas, nem que sejam pequenas (por exemplo, 15 minutos por dia) fará com que você não fique refém somente da sua vontade. A disciplina é uma importante ferramenta para quem quer aprender a desenhar bem.

OBS: Se você pretende no futuro dominar técnicas de desenho digital (como os softwares Illustrator e Photoshop) é interessante já ir se inteirando deste mundo.

Leve um caderno para anotar ou traçar suas ideias

sketchbook
Sketchbook

Há momentos que a inspiração vêm inesperadamente, porém podemos esquecê-la se deixarmos para desenhar depois. Aprender a desenhar também passa pelo processo de desenhar “ao acaso”. Esteja preparado quando essa hora chegar.

Se tiver condições, compre um sketchbook, que é um caderno de rascunhos (ou esboços) formado por páginas em branco, feito especificamente para desenho. É frequentemente utilizado por artistas, para desenvolver desenhos ou pinturas, como parte de seu processo criativo.

Escolha boas referências

Traços de outros desenhistas podem aperfeiçoar o seu. Não refiro sobre copiar absolutamente tudo das ilustrações de outros, mas podemos aprender novos estilos a partir de outros desenhos feitos. Esse mistura de referências com certeza ajudará no processo de aprendizado.

Exemplo: quero ilustrar uma montanha e me baseio em artistas que já traçaram o mesmo tipo de figura.

Critique-se menos e aprecie mais

Desenhar é um tipo de arte, em que ilustramos algo que nos inspiramos. Uma boa ilustração está atrelada à motivação em expressar uma visão, um momento. Se houver desmotivação, a chance de desistir é grande, portanto aproveite o aprendizado, se cobre menos.

Esteja ciente que o começo não é fácil, mas é importante não olharmos somente onde queremos chegar, mas sim da onde nós partimos. Certamente você ficará feliz com o seu avanço dentro de poucas horas de estudo.


Gostaria de aprender mais? Descrevemos acima pequenos procedimentos, no entanto recomendamos acessar cursos a fim de aprimorar sua prática e os tipos de desenhos que você desenvolverá. Existe uma variedade de modos de desenho, com estilos diferentes. Citaremos alguns tipos mais usados em que você poderá se especializar (começando “do zero” até níveis mais avançados).

Tipos de Desenho

Modo Paisagem

O modo “paisagem” é descrever elementos naturais como um pôr do sol, uma bela praia, uma cadeia de montanhas, um campo florido. É um estilo de desenho para quem aprecia paisagens a ponto de querer descrevê-las em traços; por isso, a importância de observar bem cenários e perspectivas. Aprimora-se o olhar de vistas da natureza, a fim de identificar a riqueza de detalhes existentes.

Há dicas de traçados e maneiras de como delimitar áreas, traçar linhas que representem elementos naturais, maneiras de contrastar a ilustração e, até mesmo, a maneira de colorir a ilustração caso você desejar.

Modo Cartoon

Este modo é para aqueles que gostam de ilustrar (e criar) personagens de desenhos animados, que são simples porém muito expressivos. Costuma ser feito com linhas precisas, saindo do realismo e entrando na fantasia. O traçado tem diferenciação das linhas (externas mais grossas que internas); na sua forma, curvas e ângulos são conservados.

Talvez quem inicia a ilustrar esse tipo de desenho acabe copiando cartoons tradicionais e conhecidos, no entanto, com treinamento e orientação de cursos, você poderá criar seus próprios personagens e cenários.

Além disso, nesse modo o importante é dar “vida” a objetos comuns, enxergar estruturas e dar “mobilidade” no seu cartoon. Com isso, por não ser um desenho realista, há um traçado que se difere da representação de retratos reais (como no modo paisagem).

Modo Quadrinhos (HQ)

Histórias em quadrinhos, também conhecido como “HQ’s”, são narrativas através de textos e ilustrações colocados em sequência. Elas são muito parecidas com o modo cartoon, porém traz fantásticos elementos de ação diferentes do modo anteriormente citado.

O modo quadrinhos é extremamente cheio de detalhes, com traço mais leve que o cartoon, buscando mostrar muito o corpo humano em movimento, suas estruturas, ossos e músculos; assim, esse estilo tem um outro enfoque que o desenhista se especializará: geralmente o traçado de pessoas tem mais destaques, há utilização de onomatopeias (como “POW!!”, “AFFF!” etc), aplicação de balões de falas e narrativas visuais.

Modo Mangá

aprender a desenhar mangá

Mangá é um tipo desenho de origem japonesa. Também conhecido como história em quadrinhos japonês, alguns mangás originam “animes” para exibição de forma animada em vídeo.

Por ter origem oriental, há diferenças marcantes no traçado (o qual é bem fino e limpo, com poucos detalhes no corpo), na ordem de leitura (que é da direita para esquerda), na forma (pose do personagem é mais “forçada”, os olhos desenhados são grandes etc). Há a combinação gráfica de um ambiente realista com personagens em quadrinhos e utilização de símbolos que indicam estados emocionais ou físicos da ilustração. Assim, nesse modo há uma preparação peculiar na construção de pessoas e na representação de ações e efeitos.

Modo Realista

Há desenhos que é até difícil saber se é uma foto ou uma ilustração, tamanha é a perfeição.

Desenhar algo realista não é uma tarefa fácil, devido aos seus imensos detalhes sem contar o tempo que leva para produzir e finalizar um retrato realista. Esse modo consiste na valorização de objetos e suas particularidades naturais, cujo objetivo é chegar o mais próximo do que é real, como, por exemplo, desenhar alguém da sua família com todos os detalhes possíveis, parecendo uma foto real.

Parece muito complexo, mas seguindo as técnicas passo a passo você pode sim realizar belos desenhos. Nesse modo há uma preparação específica de texturas, reflexos, degradês, transparência, questões específicas para partes de corpo, sombreamentos etc.

Modo Arquitetônico

É um desenho técnico com linhas bem medidas e cálculos precisos em que se representa projetos arquitetônicos, respeitando normas internacionais (ISO) e nacionais (ABNT). Nesse modo há a criação de projeções verticais (cortes e fachadas) e horizontais (planta de cobertura, de locação, de situação e planta baixa). Além de desenhos a mão, atualmente é muito utilizado softwares para indicação de plantas em 3D ou em 2D.

Modo Urban Sketching

desenhar para iniciante sozinho

A diferença desse modo para o arquitetônico é que não é um desenho técnico para plantas de arquitetura (linhas precisas), mas sim uma perspectiva do autor de um mundo que ele enxerga (linhas não precisas). Não somente visões urbanas como uma praça ou uma esquina famosa com prédios, porém tudo que o desenhista vivencia (uma janta com amigos, um café no escritório, um passeio favorito; ou seja, é a expressão do seu cotidiano).

Nesse modo se aprende a ilustrar observações do dia a dia de maneira peculiar através de perspectivas curvilíneas e aquarelas; não é um estilo realista mas é a perspectiva verdadeira que o autor vê expressada com sua técnica de desenho.

Conforme visto anteriormente, o desafio de iniciar um desenho só aparenta ser complicado, no entanto, com o preparo adequado e um bom treinamento é possível chegar com facilidade no seu objetivo. Citamos os principais modos e alguns passos fundamentais para atingir êxito nas suas ilustrações. Acompanhem nossas publicações para aumentar o seu conhecimento e prática dessa linda arte que é desenhar.

Níveis de Desenhos

Agora que você já sabe os primeiros passos para aprender a desenhar e os tipos de desenhos, é hora de desenvolver as habilidades. Quanto mais nos dedicarmos, mais rápido atingiremos nosso objetivo. Há 4 níveis de desenhistas:

  • Nível Básico: começar o seu desenho, colocar os detalhes e finalizá-lo. Nesse nível não importa a qualidade, pois é o começo. O importante é você completar ideias no papel e crescer através de cada desenho feito. Com isso, é necessário materiais básicos como papel comum (A4 ou folha de caderno), lápis e borracha.
  • Nível Desenhista: neste nível já temos a noção do básico (começar um esboço e finalizar um desenho). Desenhos com mais cores, mais formas, mais detalhados que no nível básico. Nesta etapa utilizamos materiais de melhor qualidade, como canetas especiais nanquim, pincel, lapiseiras especiais, réguas, papéis mais resistentes.
  • Nível Profissional: um profissional já têm capacidade suficiente para trabalhar na área de desenhos. Ele já passou por nível básico, aprendendo simples traços e, com a prática, não somente se torna um desenhista, no entanto alguém que é remunerado por isso (como designers gráficos, cartonistas, quadrinistas e entre outras profissões).
  • Nível Mestre: é quando você é uma referência na sua especialidade. O desenho não somente é uma profissão, mas uma inspiração a muitos outros desenhistas.

Conclusão

No final das contas, não pareceu tão complicado assim, certo? O importante é perseverar nesses passos e, com a prática, você verá melhoras no seu desempenho! Caímos às vezes no engano de que um desenho bem-feito começa “de repente”, sem um “norte”, no entanto é o contrário: essas etapas descritas no artigo levarão a uma ilustração bem mais estruturada e melhor traçada!

Se você quiser se aprofundar no assunto e aprender a desenhar com um material de apoio, não deixe de conferir os curso de desenhos disponíveis no mercado. Essa é a a forma mais rápida e prática de aprender a desenhar.

Existem muitos cursos de ótima qualidade com diversas técnicas e estilos diferentes. Alguns foram criados para quem já tem uma certa experiência, mas outros são feitos especialmente para quem deseja começar do absoluto zero.

Esperamos ter te ajudado! Bom desenho a todos!

Pin It on Pinterest